Produtores começam ter consciência da importância do solo na agricultura

Agricultura

O Seminário “Tecnologias para a Produção de Mandioca – Baseadas em boas Práticas” mostrou que os produtores estão cada vez mais conscientes da importância do solo para a agricultura. “(A tecnologia apresentada ) chamou a atenção dos produtores. Eles mostraram grande interesse nos temas”, disse o técnico agrícola Claodemir Grolli, do Centro de Tecnologia de Mandioca (Cetem), um dos organizadores do evento.
“O produtor está buscando alternativas, conhecendo novas técnicas para aumentar a produtividade. Ele quer novas tecnologias e novas variedades”, diz Grolli, acrescentando que o mandiocultor começa a perceber que “o solo está com problema” e sua melhoria pode ser uma saída para atacar a baixa produtividade e baixar os custos.
O Seminário foi realizado na manhã da última sexta-feira e à tarde foi realizada um Dia de Campo sobre os temas anteriormente discutidos. A promoção foi do Cetem e Embrapa e contou com o apoio do Sindicato Rural de Paranavaí, Podium Alimentos, Unioeste. Iapar e Emater. Na teoria e na prática os produtores e técnicos viram o que há de novo em termos de manejo conservacionista de solo, manejo de pragas e ervas daninha e características físicas do solo arenito. Os temas foram apresentados por professores e técnicos da Embrapa, Iapar e Unioeste.
PLANTIO DIRETO – No Seminário o professor Emerson Fey alertou os técnicos e produtores sobre a necessidade de combater a espécie invasora. “O controle não é eliminação”, alertou ele. Disse ainda as plantas daninhas vão ficando cada vez mais resistentes ao uso de herbicidas e, por isso é preciso fazer o manejo correto.
Segundo Grolli, chamou a atenção de forma especial o interesse dos produtores pelo plantio direto. À tarde, um grande número ficou no entorno da plantadeira e acompanhou o desempenho do equipamento. “Esta tecnologia ainda precisa ser validada em alguns pontos. Mas já é claro o interesse dos produtores por este sistema de plantio que não agride e protege o solo”, diz o técnico agrícola

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *