Deputado Anibelli Neto, munido de dados técnicos, joga luz sob discursos superavitários na saída do governo Richa

Gestão Pública Justiça Opinião

Fonte Blog do ESMAEL
A oito dias de deixar o governo do Paraná para concorrer ao Senado, Beto Richa (PSDB) foi desafiado pelo líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Antônio Anibelli Neto (MDB), a apontar um único legado positivo nos 7 anos e meio de gestão tucana.
O parlamentar faz uma ressalva ao dizer que há sim um “legado”, pois Richa quebrou o Paraná: “O governador foi reeleito com o discurso de que o melhor estava por vir. Mas do ponto de vista prático os impostos, taxas e serviços aumentaram, os servidores públicos ficaram sem reajustes e o governo passou a utilizar o dinheiro da previdência do funcionalismo. Todo mês o Estado usa R$ 147 milhões de recursos que são da previdência dos servidores.”
Não é nem preciso lembrar que o governador do PSDB surrou os servidores no fatídico 29 de abril de 2015 para tomar-lhes a poupança previdenciária. Naquele triste dia, 213 pessoas ficaram feridas pelas balas de borracha, gás lacrimogêneo, cassetetes, cães, bombas, etc.
Dito isto, Anibelli prossegue na busca de mais legados de Beto Richa. O líder oposicionista lembrou do “tarifaço” do Detran, que aumentou em até 271% as taxas dos serviços; do aumento do ICMS sobre diversos itens, entre eles a gasolina, e da retirada da isenção do ICMS sobre 95 mil produtos de consumo popular, como alimentos, medicamentos, roupas, calçados, gás de cozinha; e da taxação em 11% dos aposentados e pensionistas do regime próprio de previdência que recebem acima de R$ 5,6 mil.
“Como o governo pode dizer que aumento na qualidade de vida da população se houve aumento do ICMS de diversos produtos e a retirada da isenção do ICMS de mais de 95 mil itens de consumo popular? Um cálculo feito pela Fiep revelou que esta medida representou uma redução R$ 800 milhões no poder de compra da população. Ao mesmo tempo, houve um aumento de 132% na conta de água, enquanto a inflação no período foi de 57%, e também um aumento de 64% na conta de energia”, questionou.
A lista de legados negativas é enorme. Há muitos outros que serão suscitados nos próximos meses. Entretanto, o principal legado de Beto Richa será a renúncia ao cargo no próximo dia 6, às 11 horas. Servidores e demais paranaenses prejudicados pelos tempos sombrios do tucano planejam levar champanhe para comemorar o “Fora Beto Richa” em frente ao Palácio Iguaçu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *