Cansado e irritado, DELEGADO DA POLÍCIA FEDERAL CHUTOU O PAU DA BARRACA NO ACAMPAMENTO DO PETÊ EM CURITIBA ( "SISTEMA FEDERAL DE HOTELARIA PRISIONAL DE STA. CÂNDIDA")

Acidente



Gastão Schefer Neto disse que mora ali perto e que não aguenta mais a “bagunça”
Por Denise Mello e Flavia Barros em 04 de Maio, 2018 as 12h31.Portal Banda B
O delegado da Policia Federal Gastão Schefer Neto é acusado de destruir os equipamentos de som no acampamento – Reprodução
O delegado da Policia Federal Gastão Schefer Neto é acusado pelo Movimento Lula Livre de invadir o local na manhã desta sexta-feira (4) e quebrar o equipamento de som usado pelos militantes que apoiam o ex-presidente Lula. Ele disse que mora ali perto e que não aguenta mais a “bagunça”.
O acampamento fica ao redor da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida, em Curitiba. Segundo o movimento, o delegado invadiu o local durante o evento “Bom dia Presidente”.
“Um homem, infiltrou-se no meio do ato e em momento oportuno vandalizou o equipamento de som, ele estava calmo e sem motivos se transformou em um homem completamente transtornado. O bom dia já havia ocorrido. O vândalo já está detido, empurrou uma das caixas de som que ao cair puxou outros equipamentos que ficaram inutilizável também. Os seguranças voluntários o detiveram e impediram que o agressor fosse linchado pela multidão”, diz a postagem do acampamento.
Outra postagem diz: “Terrível, tenso e horrível oque acabou de acontecer aqui no momento que nós falávamos o BOM DIA PRESIDENTE LULA, aqui na Vigília LULA LIVRE. Um coxinha fascista, quebrou todo o nosso equipamento de som”.
A Polícia Militar foi chamada e a Deputada Federal Ana Perugini PT/SP, e a Deputada Estadual Márcia Lia PT/SP, registraram um boletim de ocorrência.
Um vídeo que circula nas redes mostra o delegado acompanhado de policiais enquanto alguns manifestantes protestam contra ele. Ainda assim, sem se intimidar, o delegado usa o celular para gravar o grupo.
Equipamento de som ficou destruído – Reprodução Movimento Lula Livre
Nota do Movimento
No final da manhã, o Movimento pró-Lula divulgou nota com o título: “O ódio não passará”
“Em que pese o apoio e solidariedade com que contam, em Curitiba, a Vigília Lula Livre, o acampamento Marisa Leticia e os diferentes espaços em defesa da democracia e da liberdade de Lula, há incidentes e manifestações esporádicos de ódio contra nossos espaços e militantes. Seguimos cobrando das autoridades proteção aos nossos espaços e medidas contra provocadores e fascistas.
Nada irrita mais os ignorantes, os que não querem o jogo político baseado na disputa de ideias, os que não têm outra narrativa a não ser o ódio, os que não têm argumentos, os que não aceitam o fato de Lula seguir à frente das pesquisas e se manter sereno e crítico à sua prisão, nada os irrita mais do que ver nossas manifestações organizadas e firmes, a ponto de alcançar 30 dias de luta.
Seguimos, coletivamente, aprendendo e caminhando, cantando e denunciando o país que os golpistas querem cada vez mais destruído, como denunciou Lula ontem durante a visita de Gleisi Hoffmann e Jaques Wagner.
E que, como o presidente ressaltou, esse país vamos reerguer.
Reafirmamos que a Vigília Lula Livre segue organizada e nas imediações da Superintendência da Polícia Federal, respeitando nossos acordos coletivos e o combinado com as autoridades. Daqui só sairemos com a liberdade de Lula.
Vigília Lula Livre, 4 de maio de 2018.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *