Uncategorized

Manifestantes anti-Lula fazem ‘churrascão’ para cobrar desocupação no Santa Cândida

Ato foi realizado em frente ao Palácio Iguaçu
Por Felipe Ribeiro e Flávia Barros em 13 de Abril, 2018 as 19- Banda B Rádio

Manifestantes ligados ao Movimento Brasil Livre (MBL) realizaram, na noite desta sexta-feira (13), um protesto para cobrar a desocupação das ruas no entorno da Superintendência da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida, em Curitiba. Desde a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no último sábado (7), manifestantes favoráveis ao ex-presidente fazem atos e acampam na região para demonstrar apoio ao petista.

Com um ‘churrascão’ realizado em frente ao Palácio Iguaçu, o grupo busca cobrar uma posição mais firme do Governo do Estado. Os manifestantes afirmam que o acampamento tem provocado vários prejuízos aos moradores do bairro Santa Cândida, com invasões de propriedades, uso de energia elétrica, acúmulo de lixo e problemas com necessidades básicas realizadas na rua.

De acordo com Eduardo Viana, do MBL Nacional, o grupo acredita que falta vontade política para a retirada dos manifestantes no entorno da PF. “Já há uma decisão contra a ocupação no entorno da PF e ela não está sendo cumprida. Certamente Polícia Militar tem todas as condições de cumprir essa ordem, preservando a segurança de todos e garantindo os direitos cerceados pela presença dessas pessoas na região. É uma coisa muito triste o que está acontecendo e queremos mostrar para a governadora Cida Borghetti o que é ter uma ocupação ao lado de casa”, disse.

Participaram ainda do ato no Palácio Iguaçu os movimentos República de Curitiba e Acampamento Lava Jato.

Carro de Som

Durante a tarde, o Movimento República de Curitiba realizou um ato com carro de som por alguns pontos da cidade. Segundo Patrick Ignaszevski, o objetivo também foi o de apoiar os moradores do bairro Santa Cândida. “Eles pedem essa retirada do acampamento e já pediram para a Prefeitura de Curitiba e Governo do Estado. Nós assinamos um termo que proibia acampamentos no local, mas isso não foi respeitado. Estivemos também na Polícia Federal e fomos recebidos com pedras e pedaços de pau, mesmo amparados pela PM”, disse.

O grupo foi ainda até a frente do prédio em que o prefeito Rafael Greca para cobrar uma posição.

Pedido

Na tarde desta sexta, a Prefeitura de Curitiba solicitou que Lula seja transferido da Superintendência da Polícia Federal. O documento da Procuradoria-Geral do Município foi feito à 12ª Vara da Justiça Federal. O pedido leva em conta transtornos e problemas de segurança que vem sendo gerados com as manifestações, pró e contra Lula.

A procuradora-geral Vanessa Volpi Bellegard Palácios cita que o fato de Lula estar preso na sede da PF tem gerado transtornos aos moradores do bairro Santa Cândida e também a funcionários da PF. Ela cita ainda que a prefeitura tomou todas as medidas que estavam ao seu alcance, inclusive com o pedido de interdito proibitório, que preservava o entorno da PF e proibia a montagem de estruturas em praças e ruas da cidade.