Unespar conquista quatro novos mestrados

Cultura

Resultado de um trabalho iniciado em 2013, a Universidade Estadual do Paraná (Unespar) conquistou, na última sexta-feira (05), a aprovação de mais quatro Pós-Graduações Stricto Sensu pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). A Unespar passa a contar agora com oito cursos de Mestrado, número alcançado em apenas cinco anos de credenciamento enquanto universidade.

Dentre os novos mestrados, três são de modalidade Acadêmica e um de modalidade Profissional. No campus Curitiba I/Embap funcionará o Mestrado Acadêmico em Música. No campus Curitiba II/FAP foram aprovados o Mestrado Acadêmico em Cinema e Artes do Vídeo e o Mestrado Profissional em Artes. Já o Mestrado Acadêmico em Educação Matemática será intercampi, com sede nas cidades de Campo Mourão e União da Vitória. Segundo o atual pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG), Carlos Alexandre Molena, a partir da aprovação, cada programa tem o prazo de até 12 meses para iniciar a primeira turma.

O pró-reitor comemora a aprovação em meio ao atual cenário político-econômico nacional. “Os investimentos federais em ciência nos últimos anos vêm despencando em queda livre. Mas, apesar de todas as dificuldades, em 2017 e 2018 a PRPPG submeteu sete novas propostas de mestrado elaboradas pelos ‘Grupos de Trabalho para criação de novos programas de pós-graduação’ (GTsPPGs). Das sete propostas, tivemos a aprovação de quatro, mais de 50%, demonstrando o avanço da Unespar em relação a qualidade das pesquisas realizadas pelo seu corpo docente”, avalia Molena.

O reitor da Unespar, professor Antonio Carlos Aleixo, também destaca o trabalho organizacional em prol do crescimento da universidade diante dos impasses vividos pelas instituições públicas. “Desde que assumimos, uma das nossas prioridades foi a formação e qualificação dos nossos docentes. Crescemos 280% no número de doutores, numa conjuntura de ataque à universidade pública. A criação dos grupos de trabalho para a pós graduação também só foi possível porque houve coesão da Universidade”, sustenta.

Conforme explica o reitor, a preocupação da Unespar agora é garantir a reposição de agentes e professores para atender aos cursos existentes, aos novos cursos em planejamento e à criação de doutorados.

Histórico

A criação dos cursos foi viabilizada graças à atuação dos GTs, que desde 2014 vinham desempenhando diversas discussões e estratégias para elaborar as propostas. De acordo com Frank Antonio Mezzomo, na época à frente da PRPPG, a aprovação é ”um segundo passo importantíssimo para aprendermos a andar”.

Dentre os elementos apontados para a conquista dos novos cursos estão o aporte de recursos específicos, por meio de editais, para os programas de pós graduação, objetivando a melhora da infraestrutura dos cursos e a produção de pesquisa por parte dos docentes, colaborando para o desenvolvimento extra institucional. Outra contribuição foi a aplicação de verbas destinadas ao apoio às consultorias de professores que estão em programas consolidados nacionalmente para o auxílio aos GTs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *